Saiba por que você deve tirar seu CNPJ em vez da Carteira de Trabalho

Atualizado: 18 de mar.

NÃO TIRE CARTEIRA DE TRABALHO. TIRE CNPJ!

Marco Antônio Vieira Gomes

Empreendedorismo, transformando sonhos e ideias em Negócios!



Começo como uma pergunta: como resolver a delicada questão da inclusão social?

Tenho escrito, falado e propagado para os quatro cantos que para resolvermos o

amplo problema da inclusão social é direcionando ações para a geração de

Organizações (empresas e instituições), que vão gerar trabalho, emprego,

distribuição de renda e arrecadação de tributos.

É necessário um real e robusto investimento nas políticas de empreendedorismo e

nos incentivos para o desenvolvimento de novos negócios. Como falar geração de

trabalho, emprego e distribuição de renda sem novas Organizações, sejam elas

empresas com fins lucrativos ou Instituições sem fins lucrativos. O núcleo

constituinte do desenvolvimento econômico e social passa necessariamente pela

geração de novas Organizações (empresas e instituições).

Precisamos efetivamente e é o clamor da sociedade por profundas reformas para a

retomada do crescimento econômico no país. Cumpre lembrar que o Estado tem

como uma das suas principais funções viabilizar o progresso e o desenvolvimento

econômico e social.

Infelizmente, o que percebemos no Brasil é um desvio de funções das entidades

criadas para alavancar, facilitar e consolidar o empreendedorismo na sociedade

brasileira. Não precisamos citar os nomes de várias que perderam completamente o

seu propósito de criação e estão com seus objetivos completamente desvirtuados.

Precisamos de instituições que realmente amparem e ajudem os sonhadores, os

micros e pequenos empreendedores em todas as suas reais necessidades, desde a

facilitação de registros de criação até a facilidade de políticas e acesso ao crédito.

É chover no molhado perguntar quais são os principais entraves para os sonhadores-

empreendedores no Brasil. Mas vamos molhar novamente:

a) A burocracia é um dos principais entraves com grande dificuldade na abertura

de empresas e a falta de uniformidade nas interpretações dos atos

normativos, procedimentos, regras e sistemas na esfera federal, estadual e

municipal impactam diretamente no empreendedor;

b) Ausência de real apoio de agências e entidades governamentais aos

empreendedores desde a concepção, passando pelo plano de negócios até as

linhas de crédito subsidiadas e incentivo a inovação;

c) Simplificação do Sistema Tributário Nacional, com a tão desejada reforma

tributária e a efetiva simplificação do sistema de apuração e arrecadação para

os micros, pequenas e médias empresas (PME);


d) Enormes dificuldades de compreender e atender a complexa e ampla

legislação fiscal dependendo do apoio de profissionais da área contábil e

jurídica para avançar de forma segura.

e) Falta de capital de giro para viabilizar o empreendimento, dentre outros.

É preciso ressaltar que, mesmo com todas essas dificuldades e obstáculos, o Brasil é

apontado como um dos países mais empreendedores do mundo. Mas também é um

dos países com menor índice de inovação em seus negócios, o que demonstra

ausência de políticas, programas e estímulos nessa área.

Outro fator fundamental é que as empresas necessitam de maior apoio e

capacitação através de um firme programa educacional para trazer soluções

inovadoras. A sociedade brasileira dispõe de enorme potencial de crescimento por

meio da adoção de políticas públicas que privilegiem o empreendedorismo e a

adoção de novas ideias, inclusive, com a redução da burocracia para o seu

desenvolvimento e consolidação.

Uma sociedade empreendedora e inovadora deve focar e buscar soluções que

simplifiquem a vida para a efetiva inclusão econômica e produtiva dos pequenos

negócios e empresas brasileiras como forma de garantir o progresso e

desenvolvimento do país.

A inclusão produtiva é uma necessidade do nosso tempo. Mesmo com os avanços

das políticas para a redução da pobreza, ainda é desafiador combinar o

enfrentamento do problema com oportunidades de trabalho e geração de renda que

promovam condições para vidas dignas, produtivas e autônomas. Por outro lado, o

mundo do trabalho está se reconfigurando em meio a transição tecnológica,

demográfica, urbana e socioambiental.

Necessitamos criar uma cultura empreendedora e inovadora no brasil, onde os

empreendedores possam realizar seus sonhos, proporcionar o crescimento

econômico-social e contribuir para uma melhor qualidade de vida da população.

Empreender significa superar desafios, aprender coisas novas, ter e colocar em

prática novas ideias. É agir no presente para construção do futuro!

Voltando ao nosso tema, “não tire carteira de trabalho. Tire o CNPJ”, é importante

destacar que o sonho do emprego formal é bom, mas temos uma oportunidade

ímpar que é o empreendedorismo. É a criação de novos empreendimentos e

Organizações. É a realização de sonhos. É a contribuição para o crescimento

econômico e social. É a inclusão produtiva!


(*) Consultor Organizacional e Educacional, Professor Universitário.

E-mail: connectconsultores@gmail.com